Posts tagged “fogo

Amapolas


Amapolas, originally uploaded by ·GeorG·.

 

a inevitabilidade da crença deve conduzir ao rasgar da fé.
nada é perfeito, nada fica incólume após o toque humano.
e sente-se a raiz do choro,
cujo advento faz a proclamação do trilho terreno,
que alimenta a condição mortal.

nos momentos em que os halos vermelhos se erguem
para a redenção,
existência acontece pelo verter das lágrimas
que sucumbem às echarpes em luz solar.

talvez a ilusão seja uma necessidade?
mas, apenas o sonho é seguido,
apenas o sonho propícia a expiação.

ser ou dever ser,
é a constante do diálogo.

que produz as cores do horizonte.

 

Anúncios

… Nada Ser

 

Nada sou!
E contudo, sou.

Sou, porque tu és,
porque fazes com que seja.

Vamos dar asas ao desejo.
Explorar o lugar onde o tempo pára
ou atravessar a pálida névoa
no cosmos das águas tranquilas,
onde reside o verbo,
onde o espírito se aquece
e a alma se refresca.

Vamos dar asas ao desejo.
Mergulhar no impulso do inúmero
ou calcorrear as cascatas do céu
no infindo das terras sagradas,
onde tudo é harmonia,
onde se vê o incomensurável
e se sente o improvável.

Sim, vamos dar asas ao desejo!
Deixar que ele nos leve à génese do ser
e ser qualquer nudez na fluidez do nada.

Se nada sou
e mesmo assim sou,
deixa-me Nada permanecer
e contigo apenas Ser.

in Interlúdios da Certeza


Trialidade

Blue Flame, originally uploaded by Jabba1966.

 

em AMOR,
o nós é fundido pelo eu / tu.

aqui nasce a trindade da coexistência que para ser Una,
deve respeitar a individualidade na Trialidade.

o amor é uma singularidade triangular.

e decorrente da existência individual,
o nós também se alimenta dos espantos da vida.


Memórias

outros …
tempos passados,
tristezas presentes.

não és só tu quem tem pena.
também eu te senti distante!

mas o cordão resistiu ao suceder.

foram as saudades que o alimentaram.
mesmo quando não estás,
ou estávamos,
                         ausentes.

muitas vivências aconteceram entre nós.
muitas memórias para unir,
neste momento que temos,
                                            conjunto.

o nosso toque permanecerá
no calor dos corpos …
                                      de luz!

… outros
tempos presentes,
alegrias futuras.


XXIX

frágeis lábios.
afagos da brisa.
relvas laranjas do Sol.

desenho amor,
em letras de fogo,
com os dedos azuis
                                   do destino.

e nos pomares,
resplendecem as maçãs esmeraldas
                                                             do desejo.