Posts tagged “amor

Fluires


Existence, originally uploaded by Soul101.
.

A sucessão do tempo é uma condição
inexorável ao perpetuar da existência.
Todavia,
também é a seda que abraça a essência do sentir.

O tempo fluiu,
mas ainda hoje me renovaste o coração!

 

in √81 = IX ?


Trialidade

Blue Flame, originally uploaded by Jabba1966.

 

em AMOR,
o nós é fundido pelo eu / tu.

aqui nasce a trindade da coexistência que para ser Una,
deve respeitar a individualidade na Trialidade.

o amor é uma singularidade triangular.

e decorrente da existência individual,
o nós também se alimenta dos espantos da vida.


Dádiva


Mosvannet, originally uploaded by sqbbe.

 

no antever do sentimento
expressa-se a voz do coração.

e a harmonia no silêncio do Criador,
atinge-se na atitude que se oferece.


Harmonia

Blue Water Droplets, originally uploaded by Jacob Y.

 

ouvia,
enlevado,
a melodia divina

– que apenas é possível nas cordas da Harpa imemorial –

quando te reconheci ser
existência que já foi nossa.

dez mil eons aconteceram,
outras circunstâncias nasceram.

mas o Verbo é expressão da essência que nos faz,
que nenhuma distancia supera.

as palavras reúnem-nos.

somos uno plural!
vida em vidas
entregues ao reencontro eterno.

e no canto da brisa nocturna,
que passa por mim, serena,
pergunto:

amor?

e beijo-te,
integralmente.


em Azul

Azul (3), originally uploaded by ancama_99(toni).

 

uma pena solta.
um ramo suspenso.
uma página aberta ao futuro.

Deusa do jardim das safiras,
levitas no lago etéreo do desejo,
na amalgama das eras,
entre as encostas de meu peito
e mares em índigos sonhados.

floresce uma rosa, qual semente no coração.

marcas do tempo subsistem,

mas o Verbo da criação
é o livro azul da origem,

onde somos In-finito!


Carta na expressão do Sentir

Minha querida,

Foi o verbo que nos aproximou.
Ambos expressamos a mesma frequência na pauta cósmica. Ambos o identificamos. Ambos o sentimos!

Então, vale a pena negar a atracção? Vale a pena impedir que as nossas linhas se entrancem?

Tudo na vida deve ser agradecido. E o que é de bom ainda mais!
Quantas coisas iludem a explicação? Porém, acontecem. Mais, sentem-se!

Por isso, não penses no que virá mas no que é.
Não te esqueças que só poderemos lidar com o que acontecerá se reconhecermos o que existe.

E se o amor florescer, abracemo-lo juntos.
É sinal que o que há era puro! É sinal que o elo se estreitou! É sinal que nos queremos!
Apesar da distância, das águas, das circunstâncias.
Assim, quando as saudades – e a tristeza nelas originada – vierem, aceitemo-las também.
Só aí sentiremos os nossos espíritos em uno e quanto nos amamos.
E seremos criadores do tempo. Nunca mais sozinhos ou transviados, mas entregues ao bater do coração, no embalo do sentimento que nos faz e preenche.

Sabes, já tenho saudades tuas. Mesmo enquanto escrevo estas linhas! No entanto, não há tristeza no meu peito, que se enche com a tua lembrança, por se sentir correspondido. Integralmente!
Vês, até na tristeza há amor.

O querer conduzir-nos-á ao encontro!

Até lá, aceita os meus sopros. Breves, mas intensos!
Verás que se tornarão ventos refrescantes no calor do teu coração. Autênticas ondas em paixão nesse teu universo, onde sou passado, presente e futuro.

Sabes, escrevo Amor, expresso Saudades.
Com todo o meu Sentir!

Sempre,
V.


Ínsulas

duas ilhas,
dois corpos …

duas distintas entidades.

um grão de tempo,
uma união inteira …

uma lua em saudades.

duas lágrimas,
um pleno em coração …